topo frente

Cursos

16/06 a 23/07 - O Rio que muitos não viram uma abordagem interdisciplinar de história ciência, arte, tecnologia e meio ambiente na cidade maravilhosa - Turma 3/2012

Período: 16/06 a 213/07/12

Local: UEM e Rio de Janeiro.

Número do Processo: 5037/12

Público: 41 pessoas (Alunos e professores do Ensino Básico e comunidade em geral)

Carga horária: 56 horas

Coordenadores: Marcílio Hubner de Miranda Neto.

Parceiros: CAE, Lions Universitário

Comissão Organizadora:
Gilberto Gumieri (2h/a)
Sônia Trannin de Mello (1h/a)
Isabel Ferreira da Silva Chagas (6h/a)
Débora de Mello Gonçales Sant'Ana (1h/a)
Marilaine Correa Tenório Calvi (2h/a)

Ministrantes:
Marcílio Hubner de Miranda Neto (49h/a)
Marcos Eduardo Pintinha (3h/a)
Débora Cristina Ravagnani (4h/a)

 Justificativa:
O Projeto: “O Rio que muitos não viram” tem como proposta contribuir para a reflexão sobre diferentes alternativas de ensino e aprendizagem. É sabido que construir o conhecimento é mais que promover a fixação de conceitos, é, sobretudo, promover situações de aprendizagem que possibilitem ao sujeito a formação para interagir no meio. A construção dessas situações é um desafio para os profissionais preocupados com a educação. Assim, pesquisas apontam que espaços fora do ambiente escolar, mais comumente conhecidos como não-formais, são percebidos como importante recurso complementar às práticas pedagógicas, sendo uma alternativa de aquisição de conhecimentos além do ambiente escolar. E é como citado por Vygotsky: "qualquer modalidade de interação social, quando integrada num contexto realmente voltado para a promoção do aprendizado e do desenvolvimento, poderia ser utilizada, portanto, de forma produtiva na situação escolar.” Para o desenvolvimento do conhecimento faz-se necessárias intervenções, por intermédio das várias formas que se dá a educação.  O contato  com espaço e ambientes como museus, teatros, igrejas, cinemas, mesquitas, tem sido apontado como excelente forma de apreensão do conhecimento em suas múltiplas vertentes: história, ciência e cultura. Na perspectiva da interdisciplinaridade, a visitação de estudo é uma oportunidade de integração dos diversos aspectos do currículo, fomentando também a articulação com as formas de gestão. Desta forma, este projeto visa estimular a capacidade de observação, reflexão crítica, provocando a curiosidade e valorização das múltiplas formas de gestão nos espaços públicos, relacionando com a educação formal.

Bem Social:

Este curso oportunizou aos docentes do ensino básico e superior e a acadêmicos da UEM, melhor conhecimento de como utilizar recursos da comunidade para dinamizar o ensino. Desta forma entendemos que há uma colaboração para melhorar a qualidade de ensino de escolas públicas e privadas. Alem disto, a visitação a museus, teatros e parques é uma forma de contribuir para formação de publico nestes espaços